RASTREIO DO CANCRO DA MAMA

O cancro da mama é o cancro mais frequente na mulher e por esse motivo é da máxima importância a sua correta prevenção na população feminina

Os resultados obtidos com o Rastreio do Cancro da Mama têm sido encorajadores, uma vez que a sua taxa de mortalidade se reduziu significativamente nos últimos anos.

Não existem conselhos de hábitos que possam modificar significativamente a incidência do cancro da mama, uma vez que não estão correctamente determinados os factores externos que influenciem o seu aparecimento. Não pode, portanto, ser efectuada a chamada Profilaxia primária.

Temos, por isso, que nos guiar pela chamada Profilaxia secundária que corresponde à realização de exames periódicos (exame físico dos seios pela própria e pelo médico e recurso aos exames imagiológicos).

É praticamente consensual o valor da Mamografia na sua deteção, uma vez que os equipamentos e as técnicas melhoraram nos últimos anos, assim como a experiência na interpretação das imagens. Contudo, deve-se ter a noção de que ainda não se conseguem diagnosticar em definitivo todos os cancros.

O Rastreio deverá ser efetuado a todas as mulheres acima dos 40 anos, que deverão efetuar exames mamários com periodicidade anual, além de uma observação pelo seu Médico Assistente, também, no mínimo, anualmente. Estes exames são a Mamografia acompanhada ou não de Ecografia mamária. Através da realização destes exames poderão ser avaliadas lesões mamárias ainda não palpáveis e portanto de menores dimensões, com o correspondente melhor prognóstico e uma muito melhor sobrevida.

Para a realização da mamografia de rastreio deve ser escolhida preferencialmente a fase após o fim da menstruação (não obrigatório), altura em que ambos os seios e em certas mulheres, se encontram menos tensos, pelo que a compressão será menos dolorosa.

Em certas situações, algumas mulheres deverão começar o rastreio abaixo dos 40 anos e outras não terão necessidade de efectuar exames anuais, podendo ser aconselhadas a realizar exames somente de 18 em 18 meses ou de 2 em 2 anos. Estas situações devem ser avaliadas por um Senologista, caso a caso.

No entanto, todas as mulheres devem ser observadas ciclicamente, no mínimo anualmente, após os 18-20 anos, de modo a criar hábitos de prevenção mais facilmente implementáveis nestas idades.

Ver Exame Mamografia